usdbrl mostra que muitas histórias de prisões, batidas policiais e deportações são fantasias da imaginação de algumas pessoas. Pais devem estar preparados para orientar seus filhos corretamente, a fim de que as crianças ignorem os rumores.">

Login

E-mail

Senha

Lembrar

Cadastre-se

Menu
HOME

  INDIQUE!

  COMUNIDADE
NO ORKUT
 

AMIZADES

  ASSINAR O NATIONAL
 

BLOGS

  BRAZILIAN SUPERLIST
 

  CÂMARAS DE COMÉRCIO
 

  CLASSIFICADOS
GRÁTIS
 

CONSULADOS

DINHEIRO

FESTAS

IMIGRAÇÃO
IMÓVEIS

NATIONAL

NOTÍCAS

TEMPO

VIDEOS

RSS FEED
Brasil|Leia o jornal National na versão integral
Envie essa matéria para um amigo


1/24/2008 - 16:40

Estado de Medo


Fonte: Agência BR NEWS

Juliana Melo

Boatos sobre ações do serviço de imigração aumentam o sofrimento dos brasileiros. A realidade mostra que muitas histórias de prisões, batidas policiais e deportações são fantasias da imaginação de algumas pessoas. Pais devem estar preparados para orientar seus filhos corretamente, a fim de que as crianças ignorem os rumores.



Quem anda pelos bares, lanchonetes e comércios de grande movimentação ouve todos os dias uma história nova sobre prisão, batida policial e deportação. Apesar de tantos fatos relatados por aí, poucos brasileiros conhecem alguém que esteja preso ou tenha sido deportado. Afinal, o que há de verdade e o que há de lenda em tudo que se ouve e fala? A resposta é simples: mais de 80% dos casos é diz-que-diz, ou seja, não passa de fruto da imaginação fantasiosa dos brasileiros.

Na opinião do sociólogo Renan Sampaio, a condição de indocumentado fomenta a criação de lendas urbanas. “É a história do fulano que ninguém conhece que foi preso ninguém sabe como, mas que vai ganhando força à medida que é repetida por um, por outro e por outro”, explica. “É preciso separar a realidade da fantasia: existem, sim, histórias reais de imigrantes presos e constrangidos pela imigração, mas são casos isolados, não é maioria”.

Como combater a ansiedade generalizada que tomou conta da comunidade? Para Sampaio, a receita é sair do “estado de medo” e perceber que não se pode sofrer por antecipação. “Os imigrantes tendem a sofrer dos mesmos problemas desencadeados pela síndrome do pânico. A ansiedade e a crença de que todas essas histórias ditas por aí são reais deixam a pessoa num nível de tensão que podem a impedir de fazer atividades comuns. Convencer-se de que há muitos boatos na boca do povo é a medida mais sensata para quem quer cumprir seus planos nos Estados Unidos”.

Fatos, boatos e muito exagero

Há um grupo crescente de brasileiros que não pára para ouvir os boatos. É o caso de Ângelo Guerreiro, que vive há nove anos ilegalmente em New Jersey. “As pessoas aumentam tudo, há exageros demais nessas histórias. Em vez de dar ouvidos pra esses boatos, eu prefiro evitar falar com gente que só quer colocar medo nos outros”, diz.

Guerreiro vive há quase uma década no país. “Se as coisas fossem como falam, eu não estaria aqui até hoje. Não suporto essas histórias e tenho dó de quem chegou recentemente e acaba caindo no papo desses boateiros”, fala indignado.

A principal explicação para incertezas e exageros nas histórias de prisões e deportações reside na desinformação. As parcerias de polícias com agentes de imigração (ICE) não acontecem em todas as cidades do país. A maioria dos oficiais é treinado para que não questione status migratório, nem atue nessa questão, por ser de competência federal. “Não há necessidade de atravessar a rua, quando avistar um policial vindo em sua direção, é um absurdo ter tanto medo”, opina Ângelo.

A estudante Raquel Prado, de 16 anos, está no país desde os quatro anos de idade e conta que em sua família há uma política contrária ao pânico existente entre os brasileiros. “Quando começaram essas histórias no ano passado de que a imigração estava terrível, pegando todo mundo, meus pais tiveram uma conversa séria comigo e com meu irmão de 12 anos para que não déssemos atenção a tanta conversa”, diz.

Sua mãe, Virginia, falou com nossa reportagem e contou que tomou essa atitude depois de perceber que seu filho caçula estava desesperado. “Infelizmente, há um grupo da imprensa que adora explorar essas histórias de famílias separadas pela deportação. Eles colocam uma super manchete e causam um efeito desastroso, porque acabam deixando crianças, adolescentes e adultos com um medo do que pode acontecer”, avalia.

Ela diz que em família, imigração é um assunto proibido. “Usei uma frase bíblica pra convencê-los a reagir a esse estado de medo: a cada dia, sua própria aflição; não adianta sofrer por antecipação, afinal, estamos trabalhando, eles estudando, temos nossa vida muito boa aqui. Não há porque perder o sono com o problema dos outros”, completa.

Crianças são principais vítimas

Sem pensar nos danos que estão causando aos seus filhos, muitos pais contam casos de ações do Serviço de Imigração (que nem sempre são reais) perto de crianças. O resultado pode ser trágico. “A imigração é um projeto dos adultos e às vezes a criança está ilegal aqui, sem saber o que é isso, afinal, foram seus pais que a colocaram naquela situação”, enfatiza Jésse Antunes, que é formada em pedagogia no Brasil, mas trabalha como housecleaner em Mount Vernon (NY). “Acho injusto expôr as crianças a tanta informação desencontrada, tantos boatos”.

Ela conta que recentemente reuniu-se com outras mães da escola de seu filho para conversar sobre esse tema. “O brasileiro é sensacionalista por natureza, então ele gosta de ouvir histórias trágicas e sair por aí reproduzindo, sem checar se é real ou imaginário, só que nossas crianças não podem pagar pela curiosidade dos adultos”, observa. “Tentei alertar as mães para que mudassem sua postura e passassem segurança às crianças, afinal, os pais são fortalezas para os pequenos, e eles não podem nos ver fraquejar”.

Mãe de Felipe, de apenas oito anos, Jésse pede que ele lhe conte tudo o que ouve na rua para que possa confrontar as informações. “Tem dias em que ele vem com umas histórias que parecem saídas de um livro de aventuras: é o policial que prendeu o brasileiro que sofreu na prisão, e isso e aquilo. Me controlo pra não perder a paciência. Depois que ele acaba de contar, explico bem séria pra ele o que tem de verdade na história e o que é absurdo. Pelo menos desse jeito eu evito que ele acredite em boatos”, finaliza.
Envie essa matéria para um amigo

Comentários. Deixe o seu!

2 comentário(s)
Armando - Europe
1/27/2008 5:39:07 PM
E verdade sim. Eu vivi 6 anos em Newark e fui deportado em Agosto de 2005 apos 32 dias presos. Nao pensem que e historia nao...eu sei aquilo que passei a nivel de destruicao de sonhos. A America continua a ser um grande Pais mas em termos de imigracao JA ERA.
 
Straus - Beverly Hills
1/30/2008 3:23:00 PM
Disclaimer: Eu não sou brasileiro. Sou um imigrante de Europa do norte que chegoue a América em 1982 a faculdade (college) e então Universidade. Estudei nas MELHORES escolas dos EUA. Fiz faculdade na idade macia de 12!!! Nesse meio, a maioria considera-me um GÊNIO! Eu não sei se isso é verdade. Em esas escolas tinham ja gente MAIS jovem ainda. No fundo deste artigo, eu contarei você que Universidade eu fui. Falo 14 linguagens... SIM 14! Meus pais eram alemães, português, italiano (parte do Pai), francês e britânicos (a Mae). Nasci num país que era nenhum deles. Por que tão secreto? Estes americanos “acertarão contas” se eles sabe quem você é (ou no meu caso "eu"). Eu SÓ dou-lhe conselho, eu tomei para mim. Faz com ele o que você quer. No fim do dia: É SUA vida! Querer ter MAIS Brasileiros no EUA para vender MAIS jornais...TUDO BEM, mas para de dar "disinformation". E melhor nao falar NADA. Vamos supor, para ser, diplomaticamente correto, que Juliana Melo NÃO fez sua pesquisa sobre a situação atual nos EUA. Olha os propios website dos Gringos: http://www.libertyforlife.com/jail-police/usa-worlds-worst-prison-state.htm E tambem: http://www.libertyforlife.com/jail-police/prison_populaton.htm E tambem o negocio da prisao aqui: http://www.libertyforlife.com/jail-police/ussa-prison-state.html Os impostos no EUA: http://www.libertyforlife.com/tax/calculating_real_tax_rates.htm Olha o negocio cara: http://money.cnn.com/magazines/business2/business2_archive/2006/12/01/8394995/index.htm Prisao PRIVATIZADO!!! : http://www.sptimes.com/2007/01/24/State/Prison_business_to_re.shtml http://query.nytimes.com/gst/abstract.html?res=9E0DE0DC1030E533A25754C1A9619C94679FD7CF http://online.wsj.com/article/SB118022826756215918.html?mod=googlenews_wsj http://www.granma.cu/ingles/2005/octubre/juev13/42carceles.html http://www.legis.state.wi.us/LRB/pubs/ttp/ttp-4-2000.html Nossa onde vc escuto isso no mundo? Há milhares de artigos como estes sobre o internet. E uma coisa que o Brasileiro ou o Hispano fale isto, mas TOTALMENTE diferente quando o Gringo MESMO fala!!! Abra os seus olhos!!! Este pais e MUITO BOM, mas SO pra vc vem aqui por 5 anos. Nao sair, so estudiar e trabalhar 20 horas por dia e 7 dias por semana, 365 dias por ano... ATE NATAL e ANO NOVO!!! Nao se deixe "caer" na "tentacao" Americana... 4 carros, 3 casas..em fim, so fica trabalhando para pagar coisas que vc nao tem tempo para usar. O sono Americano e o PESADELO para os "imigrantes" que nao sao como o Arnold Schwarzenegger. E isso tambem eram "tempos" diferentes... E melhor ter TODA informacao antes de "desmentir" uma coisa. Eu comencei a vender TUDO aqui, estou voltando para Europa. Tambem comprei uma casa no Brasil (tres - Rio, Sao Paulo e Porto Alegre). Tenho casas no EUA na Nova Iorque, Beverly Hills, Florida (dois), Chicago e Atlanta. Gente eu NAO sou pobre NADA NADA!!! Eu que sou rico com MUITOS advogados, sei que e hora de "fugir" deste pais. Eu JA ganhe no Casino... e tempo de ir embora!!! Fica no Casino e vc tem chance de perder TUDO. Agora se nao tem nada, por el amor de Deus, fica aqui e trablhe TODOS os dias. Coloca dinheiro na poupanca. Nao gasta NADA!!! Sua salvacao? Vc tem que decidir QUANTO dinheiro vc precisa para viver em Brasil (por ejemplo). Se e US $5,000 por mes, entao aqui esta a formula. Isso e US $60,000 por ano. Voce precisa um banco (p.e. Suizo) que da vc 8% por ano. Entao vai precisar de US $60K / 0.08 (8%) = US $ 750,000. Ai vc pode ficar tranquilo. Isso parece MUITO para ter na poupanca... mas gente isso no EUA em 5 anos e NADA!!! Vc consegue. Eu conheco go-go dancers que voltaram para o Brasil com mais de US $1M. Elas ganhavam ate $2K por noite dancando... faz a conta. Informacao e PODER!!! Universidade: Fui no MIT, depois fiz escola de medicina no Harvard University, depois fiz PhD no MIT e depois outro PhD no Yale. Eu pareco MAIS Brasilerio que Europeo de Norte. Tenho Cabelo preto e pareco mais como o Dwayne Johnson (http://en.wikipedia.org/wiki/The_Rock_(entertainer) ) - motivo por MUITAS discriminação aqui. (Sei como usar e pôr acentos em português, justo que é uma dor de cabeça com um teclado americano não feito para isso) :) Um abraço para os caras e um beijão para as meninas. Sorte e fique com Deus. "Straus" PS. Quem pode explicar isto? Isto eu chamo "Interpretacao Americana". Olho!!! The American Illusion: Quer fazer algum dinheiro? OK, deixe-nos dizer que você tem um um DIME. Se esquadra $0,10 que iguala a isto $ 0,01. $(0.10)^2 = $ 0,01. Então receberá um centavo Agora se esquadra 10 centavos você recebe 100 centavos. (10 cents)^2 = 100 centavos. Então acaba de ganhar um dólar de SO um centavo. Porque? (E muito facil... so pensar como "Americano")
 

Leitor cadastrado.
Faça o login para comentar!

E-mail

Senha

Lembrar de mim neste computador



Novo no site?
Cadastre-se para comentar e receber um e-mail quando tiver novas notícias.

E-mail

Zip-code

Senha

Confirme a senha


Aceitando nossos e-mails, você receberá as notícias do site diretamente em sua caixa postal e eventualmente, promoções, como ingressos grátis para eventos brasileiros e/ou ofertas exclusivas aos usuários cadastrados do site.






© 2004 Brazilian Superlist . Todos os direitos reservados.
Aviso Legal. Política de Privacidade